Primeiras Impressões: Filme Lomography Color Negative 400

Olá, lomoleigos!

Aqui no loamo, vamos ter a tag “Primeiras Impressões”, onde vou falar das minhas experiências com marcas, tipos, exposições e tudo que eu possa observar sobre filmes.

O filme que usei desta vez foi da própria Lomography – Color Negative 400. Esse 400 é referente ao ISO. O ISO regula a luz, ou seja: se eu usar um filme de ISO 100 e tentar lomografar em um lugar sem muita luz, a foto provavelmente vai sair escura. O 400 dá uma chance um pouco maior de se tirar fotos em lugares escuros.

Bom, eu uso uma Diana F+. Sem máscara (aqueles quadrinhos pretos que vêm junto com a lomo), é possível fazer 12 fotos. Na revelação, só saíram 11. Destas 11, várias fotos ficaram borradas.




















Na primeira, testei o modo Pinhole (Vinheta) combinado com Parcialmente Nublado. Ah, também tentei no Black (aonde se escolhe N – para luz natural – ou B – para luz artificial ou lugares escuros). Não ficou tão ruim assim, mas como eu segurei o disparador por alguns segundos sem apoiar em lugar nenhum, a foto borrou.
A segunda ficou um desastre total! Tentei fazer uma montagem lomografando duas vezes sem rodar o filme. Se eu não tivesse feito isso, a foto teria alguma possibilidade de ter ficado legal, mas com certeza ainda borraria. Eu estava num lugar bem escuro, onde só as luzes do palco influenciavam o ambiente. Sem nenhum apoio – de novo – dificilmente a foto ficaria digna. Essa estava combinada em Nublado com Black. Ou seja: precisaria segurar o disparador algum tempo sem tremer para obter êxito.

Não necessariamente a lomografia borrada é feia. Consegui capturar uma que gostei muito:

Já vi umas lomografias borradas bem interessantes. Qualquer dia, posto algumas aqui.

Essa foi a única muito escura. Há uma explicação: O ambiente estava completamente escuro, sem nenhum foco de luz e o disparador não foi segurado nem um segundo. Como não tenho flash (o flash da Diana é o preço da câmera), para as fotos ficarem nítidas em ambientes escuros, é preciso fazer aquelas regulagens das quais já falei e NECESSARIAMENTE (em Caps Lock mesmo) segurar o disparador por mais de um segundo, pelo menos. Ah, é bom lembrar que, segurando o disparador em tempo excessivo, a lomografia corre o risco de estourar (ficar clara demais). Mas isso depende do efeito que cada um busca.

Esse foi o primeiro filme que usei (leia-se: lomografava tudo que via e poucas foram as que eu realmente gostei). Tudo bem que uma das 10 regras de ouro da Lomo é “Não pense, só lomografe”, mas há controvérsias. Minha dica é “Pense um pouquinho e lomografe”. Isso não quer dizer que o filme tenha estragado as fotos: eu tenho total consciência de que fui eu mesma que consegui essa proeza. 

Em geral, gostei bastante do filme com ISO 400. Esse ISO realmente ajuda quem não tem flash.




Anúncios

Dispare:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: